Missão Jesuítica Guarani


Estatueta da Missão Jesuitica de San Cosme e san damian - Paraguay- Arquivo Portal Pesquisa - urandir 2015As Missões Jesuíticas Guarani da antiga Província do Paraguai foram as mais famosas de todas as que se estabeleceram na América, onde recorrendo à pregação e ao ensino os Jesuítas conseguiram em pouco tempo um prestígio extraordinário. Nas missões era estabelecido um estilo de vida próprio em que os indígenas trabalhavam e aprendiam música, a ler e a escrever entre outras habilidades.

O seu raio de atuação compreendeu o sul do Paraguai, o nordeste da Argentina, o sul do Brasil e o Uruguai. Mais concretamente no Paraguai foram edificadas 7 missões situadas perto dos rios Paraguai e Paraná: San Cosme y San Damián, Trinidad, Jesús de Tavarangüe, Encarnación, no departamento (ou província) de Itapúa; San Ignacio Guazu, Santa Rosa, Santa María de Fe y Santiago, no departamento de Misiones. A presença dos Jesuítas no Paraguai vai desde 1609 a 1767.

Cada missão era composta por cerca de 3000 indígenas e apenas 2 ou 3 sacerdotes. Ao instalar uma missão, os missionários construíam primeiro a igreja, junto a esta estava o Coty Guazu, ou a casa dos Regedores, o colégio, a corporação, as oficinas, o armazém ou depósito e o curral para ordenhe de vacas. Em frente à igreja era sempre deixado um terreno amplo para a praça e no centro era colocada uma imagem do padroeiro ou virgem padroeira do povoado. As moradias dos indígenas eram edificadas em frente à praça com recurso a parcelas de terras repartidas pelos missionários que posteriormente os ensinavam a cultivá-las e a cuidar do gado.Localização da Missão Jesuitica de San Cosme e san damian - Paraguay- Arquivo Portal Pesquisa - urandir 2015

Os tempos iniciais foram difíceis pois existiu alguma resistência dos indígenas, no entanto este trabalho impressionante resgatou mais de 100.000 indígenas da Explotación Esclavista de la Encomienda, um sistema obrigatório de trabalho que os indígenas deviam prestar aos espanhóis.

A época de maior perigo veio posteriormente quando assaltantes paulistas invadiam as missões para destruir as missões e roubar indígenas para a escravatura. Para segurança dos povos foi mesmo pedida autorização a Espanha para que os indígenas, treinados pelos jesuítas, recorressem ao uso de armas de fogo para combater esta ameaça. Os paulistas foram derrotados na batalha final em 1651.

Os crescimento econômico e político das missões despertaram desde cedo o interessa dos governantes da época, o que gerou sucessivas tentativas para submetê-las à vontade das autoridades espanholas, até que finalmente, os Jesuítas foram expulsos da América pelo Rey Carlos III de Espanha em 1767 .

A decadência das edificações começa desde então e só há poucos anos este marco histórico desperta interesse. Neste momento só restam algumas ruínas das construções imponentes e algumas imagens e talhas de madeira.

Deixe seu comentario

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>