O Câncer tem cura


O câncer se caracteriza pelo crescimento desordenado de células que invadem tecidos e órgãos. Por se dividirem rapidamente, quase de forma incontrolável, formam-se tumores malignos que podem se espalhar para outras regiões do corpo. Esses tumores podem surgir em diferentes tipos de células.

Atualmente, o tratamento do câncer é feito por meio de uma ou várias modalidades combinadas. A principal é a cirurgia, que pode ser feita em conjunto com a radioterapia, quimioterapia ou transplante de medula óssea. O tratamento mais adequado leva em conta a localização, o tipo do câncer e a extensão da doença. Segundo o Inca (Instituto Nacional do Câncer), estima-se que 576 mil novos casos de câncer, incluindo os casos de pele não-melanoma, surjam em 2015, e pelo menos 189.454 pessoas morram em decorrência do câncer.

Gilberto Chierice fosfoetanolamina  A fosfoetanolamina é um composto químico orgânico presente naturalmente no organismo de diversos mamíferos. Ela ajuda a formar uma classe especial de lipídeos, os esfingolipídeos, moléculas que participam da composição estrutural das membranas das células e das mitocôndrias. Do ponto de vista bioquímico, trata-se de uma amina primária envolvida na biossíntese de lipídeos. Além dessa função estrutural de formar a membrana celular, ela possui ainda uma função sinalizadora, ou seja, a fosfoetanolamina informa o organismo de algumas situações que as células estão passando.

gilberto chierice-cura do cancer-arquivo pesquisa urandir 2015Sintetizada há mais de 20 anos por Gilberto Chierice, professor aposentado do Instituto de Química da USP em São Carlos, no interior paulista, o composto tem sido alvo de diversas pesquisas com animais que apontam seu potencial no combate a células cancerígenas.

O cancerologista Renato Meneguelo, integrante da equipe de Chierice, apresentou em 2007 um estudo com a substância em células tumorais de melanoma, um tipo de câncer de pele, injetadas em animais. Ao comparar o efeito da fosfoetanolamina com quimioterápicos, o cancerologista constatou que a regressão da doença nas cobaias foi mais eficaz com o uso do composto. Outras pesquisas semelhantes foram realizadas com relação à leucemia, cânceres de rim e de colo, todas com resultados promissores.

Diante do interesse crescente de pacientes de câncer, Chierice passou a distribuir o composto antes mesmo de dar início a um estudo clínico com seres humanos, etapa fundamental para a fosfoetanolamina passar a ser considerada medicamento pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Gilberto Chierice - portal pesquisa - arquivos - urandir -2015A distribuição das cápsulas perdurou até o ano passado, quando a universidade proibiu a produção do composto. Pacientes então buscaram um caminho que tem se mostrado eficaz para a obtenção de drogas não registradas na Anvisa: a Justiça. Em 6 de outubro, Edson Fachin, ministro do Supremo Tribunal Federal, concedeu liminar para um paciente de câncer em estado terminal ter acesso às cápsulas da USP.

Em seguida, o Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu diversas liminares a pacientes, o que levou a uma corrida ao Instituto de Química. A liberação foi alvo de críticas da comunidade médica e de cientistas. “O desespero de familiares de um paciente terminal não deve ser falsamente mitigado por produtos que não cumpriram as etapas envolvidas”, afirma Reinaldo Guimarães, ex-secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde.

Em 2008, Meneguelo e outros integrantes da equipe de Chierice reuniram-se com o oncologista Antonio Buzaid no Hospital Sírio-Libanês para discutir a possibilidade de estudos clínicos da fosfoetanolamina com seres humanos. Meneguelo afirma que as negociações para dar início à pesquisa com a equipe do oncologista estavam adiantadas, mas diz desconhecer os motivos de não terem prosseguido. Por sua vez, Buzaid afirma que a desistência partiu dos pesquisadores da USP e se mostrou disposto a retomar o estudo neste momento. Independentemente da falta de comunicação entre as partes, a polêmica pode reabrir o caminho para uma pesquisa séria sobre o composto.
Confira mais detalhes no vídeo abaixo:


bibliografias:
www.wikipedia.org Fosfoetanolamina
www.cartacapital.com.br ed 873
noticias.uol.com.br
Drauzio Varella – Esclarecimentos sobre a Fosfoetanolamina

Deixe seu comentario

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>