O que há por trás da destruição das relíquias em Nimrud 2



Várias agências de notícias publicaram reportagem em 12 de abril de 2015 com o video divulgado pela facção radical do estado islâmico que mostra milícias explodindo e destruindo as relíquias de Nimrud no Iraque, antiga capital do império Assírio. É uma pena vermos uma importante parte da história sendo destruída dessa forma.
Nimrod - Guardioes na entrada do palácio - arquivo pesquisador urandirMas qual a verdadeira importância dessas ruínas e qual seria o real motivo que eles as estariam destruindo ? A justificativa dessa facção que controla áreas da Síria e do Iraque é que essas relíquias anteriores à chegada do Islamismo são alvo de idolatria. Você acredita no que o estado islâmico afirma como justificativa da destruição desses importaníssimos achados arqueológicos ? Mesmo que você acredite, pense que parece estranho, concorda ? Então temos em mãos fatos importantíssimos a respeito das ruínas e dos achados arqueológicos do local que mudam alguns conceitos de que estamos acostumados a saber, incluindo toda a atual idéia evolutiva do homem que a cada dia está sendo menos aceita.
Pois bem, para quem não sabe provém da região as famosas tábúas de argila da suméria. É nessas tábuas de argila que é revelada a verdade sobre a história da criação dos seres humanos por transformação genética.
Os Sumérios foram uma civilização que surgiu por volta de 3500 aC na área que é hoje o sul do Iraque, sendo que essa é data oficial, contestada por inúmeros arqueólogos independentes. Essa civilização é muito misteriosa porque, apesar de seu alto nível de sofisticação, ela surgiu “de repente, sem aviso prévio e do nada”. Por isso, é chamado de “Mistério da Suméria” em arqueologia. A civilização suméria tinha desenvolvido a escrita, a literatura, arquitetura avançada, leis, hospitais, templos, um sistema de administração, escolas, matemática avançada e também astronomia avançada desde seu início, mesmo que ele não tenha sido precedido por nenhuma outra civilização.
Como exemplos, para ilustrar o grande avanço dos Sumérios, na ciência médica, eles conheciam o método de remoção de partes nubladas do cristalino ocular no caso da cataratas. Em astronomia, eles entendiam perfeitamente a rotação da terra em torno do sol, tinham fórmulas numéricas para prever eclipses solares e as órbitas da lua e dos planetas, assim como sabiam calcular a precessão do eixo da Terra. Na jurisprudência, eles tinham leis que protegiam os trabalhadores, os desempregados e os fracos, e usaram um sistema de júri como o atual. Na metalurgia, tiveram a tecnologia para fazer não só ouro e cobre, mas também ligas, tais como bronze.
A pergunta que cada um fica: Como é que os sumérios adquiriram conhecimento avançado similar ao que possuímos hoje? Os sumérios sempre relataram em seu grande legado escrito que a civilização foi um presente dos deuses. Além disso, está escrito nas tábuas de argila suméria que “Nosso conhecimento é dado por deuses que vivem em Nibiru”. Deuses é expresso como a palavra Anunnaki em sumério. Um significa o céu, na desceu, e ki é terra. Anunnaki então significa “aqueles que desceram do céu”. Então, quem foram os Anunnaki?

Dezenas de milhares de tabuletas de argila com inscrições em caracteres cuneiformes foram descobertos em muitas partes da Suméria. detalhes do alfabeto cuneiforme sumério - arquivo de pesquisa urandir 2015Na década de 1970, Zecharia Sitchin, pesquisador e um dos maiores especialistas em escrita suméria, anunciou seus resultados de muitos anos de decodificação das placas de argila suméria. O que foi revelado abalou a ciência e modifica o rumo da história de terra, assim como o da raça humana. Estava escrito nas tábuas de argila que os extraterrestres, os Anunnakis, havia criado os seres humanos com genes de Anunnaki mesclados com os hominídeos da terra e que diversas civilizações foram criadas com os seres humanos, e que depois do dilúvio, os Anunnakis tinham ensinado a civilização para os seres humanos novamente. Zecharia Sitchin explicou a parte onde os Anunnakis criaram o primeiro ser humano:

“De acordo com documentos sumérios antigos, a primeira duas substâncias sagradas nomeada Teima e Sill foram recolhidos junto dos organismos dos Anunnaki. Como Teima significa “coisas que preservam a memória”, isso poderia ser representado por “genes” em termos de hoje. Sill é “uma coisa que pode ser recolhida a partir de apenas os machos do Anunnaki”. Por isso, é certo que Sill significa esperma. Então a Teima e Sill do Anunnaki foram misturadas em uma garrafa limpa (tubo de ensaio ? lembra inseminação in vitro! concorda?) com o óvulo de um hominídeo (seria um Cro-magnom, Neanderthal ou outro hominídeo presente na época no planeta). Ou seja, o óvulo de um hominídeo foi inseminado com o esperma de Anunnaki. O ovo fertilizado foi movido de “a garrafa limpa” para “um molde” e crescido lá por um período fixo de tempo. Depois disso, o óvulo fertilizado foi implantado no útero da “Deusa do Nascimento”, ou seja, o útero de uma mulher Anunnaki que se tornou a mãe do homem. Olhando para trás, todo o processo, podemos ver que este é quase o mesmo que o procedimento para um bebê de proveta hoje. Então, o que aconteceu em seguida? Um antigo documento da cidade de Akkad disse o seguinte.

        Deusa do Nascimento assisti-lo.
Ninharsag (a cientista fêmea do Anunnaki) contou os meses.
O décimo mês fatídico se aproximou.
O décimo mês veio, mas o tempo para o ventre para abrir passou.

Essa é a continuação da tradução: o nascimento não começou ainda que tivesse passado o prazo. Então Ninharsag “cobriu a cabeça com um pano”, e abriu o ventre usando ferramentas, e tomou um feto fora. Ninharsag elevou o “novo ser nascido” para o alto, e gritaram, agitando com alegria.

        “Eu criei! Minhas mãos fizeram isso!”

Então o terráqueo nasceu por cesariana como um híbrido entre os Anunnaki e um hominídeo.

Essa seria a tabuleta de argila em que é retratada a cena do nascimento do primeiro ser humano através do processamento genética dos Anunnaki- arquivo pesquisa urandir 2015Essa seria a tabuleta de argila em que é retratada a cena do nascimento do primeiro ser humano através do processamento genética dos Anunnaki.

Dessa forma, a história completa de que os Anunnaki criaram os seres humanos, ou seja, nós, terráqueos, como um híbrido entre os Anunnaki e o hominídeo primitivo da Terra está escrita em documentos antigos sumérios.

Cientistas Anunnakis criaram os terráqueos por clonagem para trabalhar para os Anunnakis.

De acordo ainda com a tradução de Sitchin, as classes mais baixas dos Anunnakis, que foram direcionadas a trabalhos forçados nas minas de ouro da Terra, se rebelaram. É por isso que Enki, um cientista Anunnaki, criou o homem para fazer esse trabalho braçal em vez dos Anunnakis.

        Os deuses foram dados de trabalho como seres humanos e deu à luz a labuta
A labuta dos deuses era pesada
O trabalho era duro
Isso causou muita dor

Os Anunnakis que estavam engajados em trabalhos forçados se rebelaram contra o líder Enlil. Então Anu, que era de uma categoria maior que Enlil, veio à Terra e realizou uma reunião. O cientista Enki sugeriu uma idéia na reunião.

        Essa é a Deusa do Nascimento
Então deixe que ela crie um trabalhador primitivo
Deixe que o ser seja jungido
Deixe que o ser suporte a labuta dos deuses

Antigos documentos sumérios afirmam que dessa reunião levou a ser produzido o primeiro ser humano, um terráqueo. O homem foi chamado de “Lulu” em sumério e as letras significam “um misto”. Uma vez que os Anunnakis tinham criado um ser humano completo, eles tentaram produzi-los em massa para o trabalho. O método foi o seguinte.

        Ninki apreendeu quatorze pedaços de argila
Ela colocou sete à direita e sete à esquerda
Ela colocou o molde entre eles
Ela ..ilegivel.. cabelos
..ilegivel.. para cortar os cordões umbilicais
Duas vezes sete vezes sábias deusas eruditas geraram juntas
Sete deusas geravam homens e sete deusas geravam mulheres
As deusas do nascimento suportaram o vento do sopro da vida
Esses eram pares e terminaram na frente dela

Não era possível compreender o que essas palavras significavam antes, mas agora no século 21, parece bem claro que o método para produzir o homem e a mulher neste documento antigo deve ter a ver ou ser similar a tecnologia de clonagem. Zecharia Sitchin explicou como se segue.

“A tecnologia de clonagem foi usada para replicar os seres humanos em primeiro lugar. Os seres humanos daquela época eram como mulas e não tinham a capacidade de se reproduzir porque eram híbridos entre os Anunnaki e os hominídeos da época (isso é muito mais antigo do que se imagina em termos de datação). Mas as mulheres dos Anunnakis chamadas de “Deusas do Nascimento” tinham a oferecer seus ventres e sofriam com os processos de gravidez e do parto. Isso era muito difícil e um trabalho arriscado e eles precisavam chegar a algumas mudanças rapidamente. Então Enki começou a trabalhar com os seres humanos que tinham potencial reprodutivo. Logo Enki conseguiu criar seres humanos que foram capazes de se reproduzir “.

Os terráqueos foram então criados por seres extraterrestres que vieram de outro planeta e tinham ciência mais avançada?
Seriam estes documentos sumérios absurdo? Eles seriam apenas a fantasia de um povo antigo? Com certeza não são, afinal uma civilização antiga iria deixar isso registrado em tábuas de argila (essa foi uma escolha sábia e inteligente, imagine e pense friamente: se tivessem deixado em livros já teriam se deteriorado e não restariam mais). Então eles realmente queriam que essa informação fosse registrada e deixada para a posteridade. Muitos estudiosos respeitam a civilização suméria, apesar de ela ser desacreditada em função da alta polêmica que traz em seus registros. Certamente nós podemos confiar nas palavras da civilização que foi a primeira no mundo a estabelecer as escolas, a primeira a conceber o sistema parlamentar, a primeiro a ter leis, e que deixou para trás uma riqueza de conhecimento
Estaria claro que estes documentos sumérios retratam um cenário de clonagem ? Para complementar e corroborar essa idéia temos uma história idêntica também no continente norte-americano, muito distante da Suméria. O povo indígena Hopi conta a seguinte história como uma parte de seus mitos:

“A criação da humanidade … Assim a mulher aranha reuniu na terra, desta vez de quatro cores, amarelo, vermelho, branco e preto, misturadas com tuchvala, o líquido de sua boca; moldou eles, e os cobriu com a sua substância branca – que era a própria sabedoria criadora. Como antes, ela cantou sobre eles o Cântico da Criação, e quando ela os descobriu a sua forma era de seres humanos na imagem de Sotuknang. Então ela criou quatro outros seres depois de sua própria forma. Eles eram parceiros do sexo feminino, para os quatro primeiros seres do sexo masculino. “

Obviamente essa história também indica um processo de clonagem. Os mitos dos Hopis contam a criação dos seres humanos pelo criador Taiowa, das três vezes que o mundo foi destruído (pela terceira vez foi a destruição pelo dilúvio), e que o mundo atual é a quarta vez que a civilização prospera e que começou com as pessoas que sobreviveram à inundação em um barco de juncos (mesmo barco de juncos como na Bíblia). O mito diz que o criador Taiowa vai tirar a terra de nós se os seres humanos se voltarem para o mal novamente.
Outra coincidencia (afinal será coincidência ?) é a criação do homem e da mulher relatada na Bíblia: a mulher (Eva) teria sido feita com com a “costela de Adão”. Dessa forma, há uma abundância de histórias antigas em todo o mundo em que o homem é criado, de deuses irados onde destroem o mundo com uma inundação, as pessoas fiéis sobrevivem em um barco, e o mundo dos humanos começa novamente. Essa mesma história se repete em diversas civilizações em locais diferentes do planeta e o mais impressionante é que nunca elas tiveram contato com outra. Será coincidência ? bom, nós já sabemos que coincidências não existem.
Diante de tantas evidências e coincidências, podemos crer na veracidade dos registros Sumérios, que estão sendo alvo de destruição no Iraque. Então voltando a Nimrud, o que estariam tentando destruir ? as evidências da criação do homem ? Porque estão querendo ocultar isso da população ? Vamos buscar conhecimento !


Deixe uma resposta para VANDer Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

2 thoughts on “O que há por trás da destruição das relíquias em Nimrud

  • VANDer

    o serviço secreto dos usa, e do vaticano e israel , trabalham infiltrad0s nessa agressoes a esses monumentos historicos e reveladorem da verdade.

    uma verdade que de uns tempos pra ca tem sido reveladas, e querem parar a todo custo,entao usam a guerra dos terrorista como desculpas para destruir provas. a o terrorismo do estado islamico e real.,porem eles nao estao

    interessados nessas coisas.

    • paulo

      Não foi clonagem! Mas um processo de inseminação repetitivo que teve fim com a capacidade de reprodução dada ao ser híbrido. E quanto às destruições feitas pelo Estado Islâmico, não adianta apagar o passado pois existem outros exemplares desses monumentos em outros museus pelo mundo